EnglishPortuguese
EnglishPortuguese

#

Inclusartiz fecha parceria institucional com iniciativa inédita da SP–Arte, que busca aproximar o mercado tradicional a novos agentes autônomos

Instituto carioca e SP–Arte  premiarão um dos participantes da exposição “Hora grande”, que contempla jovens artistas ainda sem representação comercial, com uma vaga em seu renomado Programa de Residências Artísticas

Em conformidade com os valores intrínsecos de seu DNA – a inclusão através da arte –, o Instituto Inclusartiz lança uma parceria com a SP–Arte, que acontece entre os dias 6 e 10 de abril no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera. Nesta edição, a feira paulistana apresenta o projeto Radar, que inclui iniciativas ligadas a questões sociopolíticas e culturais urgentes que atravessam a contemporaneidade.

Entre as diversas ações da programação do Radar, está o projeto “Hora grande”, exposição que pretende dar visibilidade e espaço no mercado a novos talentos, composta por artistas ainda sem representação comercial formal e que nunca apresentaram seus trabalhos na feira. O Instituto Inclusartiz e a SP–Arte escolherão um nome da mostra para participar do prestigiado Programa de Residências Artísticas da organização sem fins lucrativos carioca, coordenado por Lucas Albuquerque.

“Ao longo dos nossos 25 anos de história, recebemos artistas, curadores e acadêmicos, do Brasil e do exterior, cujos projetos visam construir pontes entre suas investigações e a comunidade artística local. Este ano, lançamos uma convocatória aberta para todo o país e África Meridional, na qual obtivemos mais de 530 inscrições como resposta. Frente a um retorno tão generoso, caminhamos com o desejo de ampliar nosso alcance. Buscamos, assim, possibilitar que um número cada vez maior de artistas e pensadores em arte possam fazer do Inclusartiz um lugar de experimentação e transformação”, conta Frances Reynolds, presidente e fundadora do instituto.

Felipe Molitor assina a curadoria do Radar, panorama que, além da apresentação dos artistas para uma audiência ampla e especializada, visa a reflexão sobre a pluralidade de práticas artísticas e posicionamentos distintos em relação ao circuito. A ideia é aproximar os contemplados tanto de colecionadores e compradores de arte como do público geral, estimulando a profissionalização desses nomes na atuação com o mercado, colocando-os em contato direto com galeristas, art advisors e curadores. Integram a exposição Allan Pinheiro, Anitta Boa Vida, Felipa Queiroz, Luisa Brandelli, Natalie Braido, Raphaela Melsohn, Simon Fernandes, Tatiana Chalhoub e Yhuri Cruz.

Além da mostra, a primeira edição do Radar traz ainda as participações especiais de Nacional TROVOA, 01.01 Art Platform, MT Projetos de Arte, GDA e Casa Chama, em que cada expositor escolherá e apresentará livremente sua proposta, seja ela comercial, experimental ou de viés institucional.