EnglishPortuguese
EnglishPortuguese

Livro “Quero te dar o corpo total do dia“ (Flávio...

R$42,00

Quantidade:

Fora de estoque

Para a crítica de arte Pollyana Quintella: “Este livro de Flávio Morgado é um livro sobre encontros. Podemos ler os poemas aqui reunidos, com o rigor que já lhes é habitual, como gestos que buscam medir os estrondos, mais ou menos ruidosos, provocados nos encontros entre poeta e mundo. E falamos de um mundo sobretudo em forma de gente: mãe, amigos, amores, sujeitos mais ou menos breves que condensam abandono, fragilidade, angústia e, por que não, pequenas alegrias, delicadezas e um resto de fúria necessária para seguir“.

Para o livro, Marcela Cantuária pintou telas inéditas que acompanham os poemas de Flávio Morgado. As obras estão expostas no Instituto Moreira Salles, em São Paulo, e disponíveis para apreciação online na galeria do IMS Convida. Apenas a obra “Dama de Copas” não está incluída na série exposta no IMS.

As fotografias das obras são assinadas por Vicente de Melo. E o livro chega com chancela e textos da crítica de arte Pollyana Quintella e do escritor Leonardo Marona.

Flávio Morgado nasceu no Rio de Janeiro em 1989, é poeta, professor, crítico de arte e editor. Graduado em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Mestre em História da Arte pela PUC-Rio, atuando como professor dos ensinos Fundamental e Médio, e em oficinas de arte e literatura. Escreveu “um caderno de capa verde” (2012), “uma nesga de sol a mais” (2016) e “preciso” (2019), todos publicados pela editora 7Letras. Em 2020, junto com amigos, funda a revista A Palavra Solta, onde além de editor, também assina a coluna de política. Em 2021 lança o livro de arte “Quero te dar o corpo total do dia“, pela Casa Philos.

Marcela Cantuária é bacharel em Pintura pela Escola de Belas Artes da UFRJ. Em 2020, foi convidada a participar da residência FountainHead, em Miami, nos EUA; e também para uma exposição no Museu Instituto de América, na Espanha. Em 2019 abriu, na galeria A Gentil Carioca, a individual “La Larga Noche de los 500 años”, mesmo ano em que realizou “Suturar Libertar” no Centro Municipal de Arte Helio Oiticica e participou das coletivas “Histórias Feministas”, no MASP e “Estratégias do Feminino” no Farol Santander em Porto Alegre, e das residências PAOS GDL no México e Kaaysa em São Paulo. Integra os acervos do Museu da Maré e do Museu de Arte de São Paulo. Marcela é militante da organização Brigadas Populares.