EnglishPortuguese

#Notícias

INSTITUTO INCLUSARTIZ FECHA 2021 COM IMPORTANTES REALIZAÇÕES

Iniciativas incluem a inauguração de nova sede no Centro do Rio, estreia na Art Rio,
projeto de educação ambiental no Piauí com Marcela Cantuária, recorde de
inscrições para residências artísticas na Delfina Foundation e exposição de Xadalu Tupã Jekupé

Mesmo diante de um ano com tantas dificuldades para o segmento de arte e cultura do país, o Instituto Inclusartiz conseguiu realizar iniciativas relevantes, reforçando a sua importância na fomentação da arte contemporânea nacional. 

O mês de setembro marcou simultaneamente a estreia do Inclusartiz na ArtRio, um dos principais eventos de arte da América Latina, e a inauguração de sua nova sede, um casarão centenário na Praça da Harmonia, na Gamboa, Centro do Rio. Na feira, o Inclusartiz revelou um pouco de sua história de quase 25 anos, com a apresentação de imagens do sólido programa de residências artísticas, que já contou com mais de trinta artistas e curadores brasileiros e estrangeiros, bem como de grandes exposições realizadas ao longo de sua trajetória. 

Trabalhos de alguns dos artistas que passaram pelo Instituto, como Maxwell Alexandre, Manauara Clandestina e Xadalu Tupã Jekupé, também ocuparam o estande no evento, enquanto a nova sede do instituto abriu as suas portas para que o público pudesse conferir o ateliê aberto de Xadalu Tupã Jekupé (RS), residente do Instituto à época.

O espaço recém-inaugurado, batizado de Centro Cultural Inclusartiz, nasceu com o objetivo de potencializar ainda mais os valores intrínsecos ao DNA do Instituto Inclusartiz – a inclusão através da arte, do diálogo e da troca de experiências –, dando prosseguimento à programação já existente: intercâmbios culturais de artistas e curadores; realização de exposições; edição de publicações de artes visuais; programa de residências artísticas; e projetos educacionais. 

Outro destaque foi a atividade de educação ambiental ‘Murais Caju – Manatí’, em Cajueiro da Praia (Piauí). Na ocasião, a artista Marcela Cantuária pintou muros e fachadas nas principais ruas da cidade para chamar a atenção para a preservação do peixe-boi, verdadeiro símbolo da região, ajudando a construir uma nova identidade visual dos espaços urbanos do local.

A produtiva parceria de cinco anos entre o Inclusartiz e a prestigiada instituição inglesa Delfina Foundation, que seleciona anualmente um artista brasileiro para participar de uma residência artística de três meses na sede da instituição em Londres, também cresce a cada ano. O programa, que até 2019 contemplava apenas artistas do Rio de Janeiro, ampliou o seu escopo para talentos de outras regiões. Em 2021, o edital direcionado a candidatos da região Centro-Oeste atingiu o número recorde de 140 inscrições, indicando, ao final, o artista goiano Talles Lopes.  

Imagem
Exposição “Tekoa Xy ‘A terra de Tupã”, de Xadalu Tupã Jekupé no Centro Cultural Inclusartiz. Foto: Wagner Knox

Para fechar o ano e dar as boas-vindas para 2022, o instituto inaugurou em dezembro a programação expositiva de seu novo espaço com o projeto “Tekoa Xy ‘A terra de Tupã”, de Xadalu Tupã Jekupé. em conformidade com um de seus princípios norteadores fundamentais, o de promover a inclusão de artistas de diferentes raças, gêneros, culturas e orientações sexuais. Principal nome da arte urbana do Rio Grande do Sul, descendente da tribo dos Guarani e defensor da causa indígena, o artista apresenta uma seleção de aproximadamente 20 obras de todas as fases de sua carreira. A exposição que fica em cartaz até fevereiro de 2022 tem curadoria de Aldones Nino. 

Confira outras ações que o Instituto Inclusartiz promoveu em 2021:

  • Residência Artística do Arjan Martins na Holanda
  • Adoção da Praça da Harmonia (Gamboa)
  • Exposição “Pardo é Papel” do Maxwell Alexandre no Tomie Ohtake (SP)
  • Lançamento do catálogo exposição exposição “Pardo é Papel” do Maxwell Alexandre no Tomie Ohtake (SP)
  • Finalização da Residência Artística da Manauara Clandestina na Delfina Foundation (Londres) e no Piramidón (Barcelona)
  • Parceira na exposição “Pitiú de Cobra” da Manauara Clandestina na Galeria Delirium (SP)
  • Exposição Manaura Clandestina na Casa Lisboa70 (Portugal)
  • Lançamento do Podcast “Arte da Gente” produzido pelo Instituto Inclusartiz
  • Parceria com a curadora indígena Naine Terena para o Podcast “Arte da Gente”
  • Parceria com a revista SELECT para o Podcast “Arte da Gente”
  • Parceria com a artista indígena Sueli Maxacali para instalação de sua obra na Bienal de São Paulo
  • Parceria na produção do livro “Quero te dar o corpo total do dia“ com ilustrações da artista Marcela Cantuária