JARDINS SONOROS – A NOITE EM BRANCO

Utilizando espaços públicos e de exposição onde desenvolver eventos nos quais se une a Arte, o espetáculo e a experiência coletiva. A proposta de exposições “Jardins Sonoros” pretende mostrar um diálogo entre a natureza urbana e a arte sonora. Seis artistas contemporâneos apresentam uma obra concebida especialmente para seis jardins da cidade de Madri. Os artistas utilizam estratégias muito diferentes para criar suas obras, como Second Ife, a semântica e semiótica, a multicultura e as marcas de gênero da linguagem. Contamos com a participação de artistas como José Iges e Concha Jerez, duas referências da arte sonora no panorama artístico nacional. O.R.G.I.A e Giardino Sonoro são dois coletivos que elaboram propostas focadas na experiência sonora-visual utilizando as novas tecnologias para tratar da simbologia e semântica do espaço intervindo. O jovem artista Mario-Paul apresenta uma proposta de jardim real e virtual através de Second life e Hong-Kai Wang transfere o jardim de Coney Island, em Nova York, para o europeu-urbano do século XXI através do som e cor-luz.

Exposição: Jardins Sonoros – A noite em branco
Período: 22 de Setembro de 2007
Local: Fundação Astroc, Palácio de Zurbano, Fundação Ortega y Gasset, Quartel General do Exército, Edifício Zurich e Real Jardim Botânico. Madri, Espanha.
Organização: Área do Governo das artes. Prefeitura de Madri e Fundação Arte Viva Europa.
Patrocínio: Prefeitura de Madri