MILOVAN FARRONATO

foto-milovan-farronato

MILOVAN FARRONATO é Diretor e Curador da Fiorucci Art Trust, desenvolvendo o projeto itinerante residencial Roadside Picnic e o festival anual Volcano Extravaganza em Stromboli. Com Paulina Olowska ele iniciou o simpósio Mycorial Theatre em Rabka, Polônia. Ele criou The violent No! Parte do programa público da 14ª Bienal de Istambul (2015).  Seus trabalhos anteriores incluem: de 2005 a 2012 ele foi diretor da organização sem fins lucrativos Viafarini e curador do Centro de documentação para Artes Visuais (DOCVA), em Milão. De 2006 a 2010 ele atuou como Curador associado da Galleria Civica di Modena. Ele também foi professor de Culturas visuais em CLADEM, Universidade IUAV, Treviso – Veneza de 2008 a 2015. Mostras recentes curadas por Farronato incluem Prediction em Mendes Wood DM, São Paulo (2016); mostra solo de Peter Doig na Fondazione Bevilacqua La Masa, Veneza (2015). Intim Im Team por Lucy McKenzie e Josephine Reisch em White Cubicle, Londres (2015); apresentação solo de Chirstodoulos Panayiotou no Espaço Projeto Kaleidoscope, Milão (2014); e Arimortis no Museo del Novecento, Milão, co-curada com Roberto Cuoghi (2013).

Durante a residência no Rio de Janeiro, Prem Sahib produzirá uma série de esculturas still life, posters feitos à mão e rubbings que tomarão forma a partir de uma série de eventos sociais e reuniões que acontecerão pela cidade. A resultado final será apresentado em formato de uma instalação, referindo-se às atividades comumente associados com a noite, mas que ocorrem durante o dia.

Cruising the House (Navegando pela casa)

Em um complexo graciosamente em cima de uma colina íngreme deibaixo do Cristo Redentor (uma presença ameaçadora que aparece e desaparece de acordo com o Evangelho da temporada de inverno nebuloso) novos caminhos serão abertos e novas funcionalidades vão ser improvisadas pela duração de um dia, 11 de setembro. O artista Prem Sahib irá “cruzar a linha” de um espaço residencial, na companhia do curador Milovan Farronato.

A casa de hóspedes aonde eles estão vivendo e trabalhando por um mês vai acolher um conjunto de corpos atléticos, fragmentada para capturar a proeminência de suas curvas. Esta série de estudos pintados à mão são uma reminiscência das competições diárias que ocorrem em torno da cidade e será marcado por um cartaz Olímpico alternativo desenhado pelo artista.

Será que a sauna ainda vai funcionar como tal, ou de acordo com a estética específica de Sahib, se transformar em um de seus leitmotifs? Será que a sala de ginástica estará acessível, ou nova instrução visual será fornecida? A única certeza é de que se sonhará com uma boate nas profundezas da vegetação proeminente do bairro Jardim Botânico. Estas são todas as áreas do Instituto Inclusartiz de frente para o sol, aonde os espectadores serão capazes de ver o esboço do projeto feita à mão de uma exposição. O resto das intervenções serão desvendadas ao longo dos estreitos caminhos labirínticos que existem na sombra do jardim ou o baixo-ventre da casa.

Navegar implica em movimento em busca de prazer possível, sem um objetivo específico. Para navegar sobre em viagem de lazer com diferentes paradas, ou desfrutar de novos locais a uma velocidade constante que permite a máxima eficiência. “Cruising the House” irá infligir uma narrativa ficcional para coexistir com a dimensão doméstica.