AHMAD GHOSSEIN

AHMAD GHOSSEIN

FOTO PERFIL Ahmad Ghossein

Ahmad Ghossein é um artista e cineasta. Ele possui um Mestrado em Artes Visuais pela Academia Nacional de Arte (KHIO) em Oslo e um BFA em Teatro pela Universidade Libanesa, em Beirute.

Sua prática utiliza uma série de mídias, incluindo videoarte, instalação, arte em espaços públicos e fotografias e filmes. O ponto de partida de seu trabalho é a coleta e análise de fatos, documentos e imagens encontradas, que então alimentam um corpo de trabalho que se baseia no potencial da imagem em movimento. Ele está interessado na conexão entre experiências humanas individuais e realidades históricas e políticas compartilhadas. Seu trabalho é impulsionado pela experiência pessoal e emocional, mas é essencialmente preocupado com a maior dinâmica política do seu tempo.

Seus trabalhos incluem:

The Fourth Stage [A Quarta Fase] – Líbano / 2015 / Vídeo / Encomendado pela Sharjah Art Foundation, Relocating the Past, Ruins for the Future [Realocando o Passado, Ruínas para o Futuro] – Noruega / 2013 / um projeto de espaço público, You have to Swim, You have no Choice [Você tem que nadar, você não tem escolha] – Líbano e Noruega / 2012 / Vídeo / Comissionado e nomeado para a Exposição da Fundação DnB Nor Sparebank 2012, Oslo Art Association. Yesterday’s News [Notícias de ontem] – exposição individual – Kunstforening / 2012 / Oslo. This is not the news of today [Esta não é a notícia de hoje] – Noruega / 2012 / Vídeo. My Father is Still a Communist  [Meu pai ainda é um comunista]. Líbano / 2011 / Vídeo / Encomendado pela Sharjah Art Foundation. What Does Not Resemble Me Looks Exactly Like Me [O que não se assemelha a mim se parece exatamente comigo] – Líbano / 2009 / Vídeo / Com Ghassan Salhab e Mohamad Soueid. Faces Applauding Alone [Rostos aplaudindo sozinhos] – Líbano / 2008 / Vídeo / 210m – Líbano / 2007 / Vídeo / 10” / Comissionado por Ashkal Alwan.

O último curta-metragem de Ghossein, White Noise, produzido sob os auspícios da Lebanon Factory, abrirá a Quinzena dos Diretores do Festival de Cannes (La Quinzaine des Réalisateurs – Cannes) 2017. Ele foi premiado com o Prêmio Programa de Produção pelo Sharjah Art Foundation em 2014, o Prêmio de bolsa de estudos Ibsen em 2013, e Melhor Curta-Metragem no Festival de Cinema de Doha Tribeca em 2011. Ele também é co-curador da CO2, uma plataforma artística em Beirute.

O trabalho de Ghossein foi apresentado em diferentes museus e galerias e foi exibido em vários festivais de cinema em todo o mundo incluindo o Museu de Arte Moderna (MoMa) e New Museum em Nova York, Sharjah Art Foundation, Centre Pompidou em Paris, Oslo Kunstforening, Kunsthall em Oslo, no Koro (Uro) em Oslo, Ashkal Alwan’s Home Works em Beirute, SeMA Biennale Mediacity Seoul, Centro de Arte Nam June Paik na Coréia do Sul, museu MuCEM em Marselha, Nikolaj Kunsthal em Copenhague, Bétonsalon em Paris, Haus am Waldsee, espaço de arte em Berlim, Festival de Cinema de Beirute, Berlinale – Festival de Cinema de Berlin, Festival de Cinema de Dubai, Festival de Cinema de Tribeca Doha, Festival de Cinema de Oberhausen, Ayam Beirut Al Cinema’iya e Fid Marseille Film Festival.

Ele está atualmente se preparando para seu primeiro longa-metragem, All This Victory com a Abbout Productions, Beirute.

                                                                             PROJETO

A curadora Amanda Khalil participou de um projeto de intercâmbio de pesquisa promovido pelos institutos Goethe no Rio de Janeiro e em Beirute em 2017. Ela foi convidada por Patrick Pessoa, no Rio, (dramaturgo e crítico de teatro, professor de filosofia na UFF – Universidade Federal Fluminense) antes de se tornar sua anfitriã em Beirute, no mesmo ano. Esse primeiro intercâmbio cultural levou a uma pesquisa maior para a produção de uma exposição anterior de intercâmbios de residências de artistas no Líbano e no Brasil.

É na Fundação Delfina (Londres), em março de 2018, que a curadora desenvolve sua proposta, em que o formato da residência é inerente à metodologia da exposição. A residência foi considerada por ser uma situação de ”acolhimento” e desencadear a produção de conhecimento artístico e de curadoria. Por meio da Fundação Delfina, a curadora se encontrou com Frances Reynolds, que demonstrou interesse em apoiar o projeto por sua plataforma e residência no Rio de Janeiro. Convidou Abi Khalil e o artista libanês Ahmad Ghossein para um mês de residência no Instituto Inclusartiz, em junho de 2018.  

Essa residência será uma iteração da metodologia da exposição. Será dedicada à pesquisa para uma comissão futura do artista. Pontuada por uma série de programas públicos e intercâmbios com instituições e comunidades anfitriãs, essa imersão de um mês no Rio dará suporte à pesquisa, tanto da exposição quanto da comissão. 

O projeto e a exposição são inspirados nas narrativas históricas, sociais e culturais associadas à diáspora libanesa (e árabe) no Brasil e nas relações recíprocas que esses dois países vêm mantendo desde o final do século XIX. É amplamente  conhecido que há pelo menos três vezes mais descendentes de libaneses no Brasil do que no Líbano, e que o Brasil abriga a maior diáspora árabe (principalmente do Levante: Líbano, Síria e Palestina) no mundo. Desde a independência do Brasil, em 1822, aqueles que ingressaram no país não eram mais colonizadores, mas migrantes.


O Brasil poderia ser visto como um território utópico onde o sectarismo árabe se dissolveu. Uma terra de acolhimento, de braços abertos, conhecida por sua identidade e a política xenófilas históricas. Os “vistos humanitários” praticados no Brasil garantiram um novo lar para os pobres e vulneráveis durante séculos. Antes da crise econômica de 2015, políticos brasileiros alegavam que o país poderia resolver a crise global de refugiados.  Moldada em torno do tema da hospitalidade, vista do ângulo da migração histórica, do clima xenófobo contemporâneo (crise de refugiados) e da noção de deslocamento inerente ao mundo da arte global (a exposição e sua metodologia), a exposição será co-produzida e exibida no Brasil e no Líbano em 2019-2020.

Amanda Khalil

Mais informações sobre o artista:


Nascido em 1981, no Líbano

Ahmad Ghossein é representado por Marfa’ Projects, Beirut.


Formação

2010-12 MA Academia Nacional das Artes, Oslo (NORUEGA)

2000-03 BFA em Teatro, Universidade Libanesa, Beirute. (LÍBANO)

Exposições selecionadas

2017

There is No Right or Wrong here, [Não há certo ou errado aqui] –

exposição individual, Galeria Marfa, Beirute

The Neighbors [Os vizinhos], Maxxi Home Beirute

– Galeria de Arte Freer e Galeria Arthur M. Sackler

Instituto Smithsonian, EUA

Undead Cinema [Cinema Morto-Vivo], Centro de Arte Nam June Paik, Coreia do Sul

Inland [Interior] , CCCOD, Tours, França.

2016

Your Blazing World [Seu mundo ardente], SeMA Bienal Mediacity, Seul, Coréia do Sul

The Game Settled into a  Cagey Midfield Match [O jogo se estabeleceu em uma jogada do meio-campo Cagey], Istambul, Turquia.

The Fourth Stage [O Quarto Estágio] + apresentação de palestra: abertura do Fórum expandido, festival de cinema de Berlim.

– Projeto DO IT, do it in Arabic, Sharja Art Foundation.

2015

The Ventriloquist came to talk to me [O Ventríloquo veio falar comigo], Performance, Homeworks7, Beirute

The Fourth Stage [O Quarto Estágio], Instalação de Vídeo, The Past, The Present, The Possible, [O Passado, O Presente, O Possível] – 12ª Bienal de Sharjah

Entry Prohibited to Foreigner [Entrada Proibida para Estrangeiro], Havermagasinet art center, Boden

– “Exibição de filmes”Kochi- Muziris Biennale, Índia

– VideoNale 15, Bonn, Alemanha

– Centro de Arte Contemporânea (CAC), Seminário de Cinema, Cingapura.

2014

1814 Revisited – The Past is Still Present [1814 REVISITADO – O Passado Ainda Está Presente], Akershus Kunstsenter, Lillestrøm (NORUEGA)

Tell me a story [Conte-me uma história], Kunstraum Avus, Berlin (ALEMANHA)

2013

Relocating the Past, Ruins for the Future [Realocando o Passado, Ruínas para o Futuro], Projeto de Arte em um Espaço Público, Oslo (NORUEGA)

– Entweder – Oder, Haus am Waldsee, Berlim (ALEMANHA)

Either, Or [Ou – Ou], Centro de Arte Contemporânea Nikolaj, Copenhague (DINAMARCA)

One Night Only [Apenas uma noite], Oslo (NORUEGA)

2012

Yesterday’s News [Notícias de ontem] – Exposição individual, Oslo Kunstforening, Oslo (NORUEGA)

– Exibição “Beirut DC” na Lives in Montage: Beirut, Casula Art Center, Sydney (AUSTRÁLIA)

2011

Mapping Subjectivity [Mapeamento da Subjetividade], Museu MoMa de Arte Moderna NY (EUA)

– Museum as Hub, New Museum, NY (EUA)

– Feira de Artes de Abu Dhabi, Abu Dhabi (EMIRADOS ÁRABES)

Run Comrade, The Old World Is Behind You [Corra, camarada, o velho mundo está atrás de você], Kunsthall Oslo (NORUEGA)

Communism Afterlives [Sobrevidas do Comunismo], Betonsalon Gallery, Paris (FRANÇA)

Plot for a Biennial [Lote de uma Bienal], Bienal de Sharjah, (EAU)

The Sacred Fear [O Sagrado Medo], Kunsthall Oslo (NORUEGA)

2010

The Calm before the Storm [A calmaria antes da tempestade], Lincoln Center, NY (EUA)

– Birmingham Theatre Festival (REINO UNIDO)

– Festival Costante Cambiamento, Florença (ITÁLIA)

2009

– Festival de Teatro de Stadsschouwburg, Amsterdã (HOLANDA)

– Home Works 5, Ashkal Alwan, Beirute (LÍBANO)

– Tanzhaus-Nrw, Dusseldorf (ALEMANHA)

– Vídeo de abril [Video April], Ashkal Alwan, Beirute (LÍBANO)

Festivais selecionados

2017

The White Noise [O ruído branco], curta metragem, abertura da quinzena, festival de cinema de Cannes

– FESTIVAL DE CINEMA DE LONDRES

39e Festival Cinéma Méditerranéen Montpellier

– Festival de curtas-metragens de Clermont-Ferrand

– Festival de cinema de Freiburg

2014 

– CO2, compositores e coreógrafos, Beirute (LÍBANO)

Diretor Artístico, Intercâmbio entre artistas libaneses e noruegueses

– Documentário sobre Grand Ecran, Paris (FRANÇA)

2013 

– Festival de Cinema Visions du Réel, Suíça (SUÍÇA)

– Festival de Cinema de Sarajevo (BÓSNIA E HERZEGOVINA)

– Siljeholm / Ghossein / Issa: Oriente o dia. Ibsen em Beirute, 2013,

Recebi o Ibsen Scholarship Award [prêmio de bolsa de estudos de Ibsen] para produzir e curar duas produções teatrais libanesas. Teatro Monnot, Beirute. (LÍBANO)

– Fórum Euro-Mediterrânico de Co-produção, (ITÁLIA)

2012 

– Kassel Video Festival, (ALEMANHA)

– Festival de Cinema de Oberhausen, (ALEMANHA)

– Scrapbook, Metropolis, Beirute (LÍBANO)

– Fórum expandido, Berlinale Film Festival, Berlim (ALEMANHA)

– Galeria Iniva, Londres (REINO UNIDO)

– Bell Lightbox, Festival de Cinema de Toronto (CANADÁ)

2011 

– Festival de Cinema de Tribeca de Doha (Prêmio de Melhor Curta-Metragem/Menção

Honrosa), (CATAR)

– Festival de Curtas-Metragens Árabes, Cairo (EGITO)

– Festival de Cinema Al Kasaba, Ramallah (PALESTINA)

2010 

– Festival de Cinema de Dubai (EAU)

 – Festival de Danças de Seul, Coreia do Sul (COREIA DO SUL)

– Festival de Danças e Teatro de Aarhus (DINAMARCA)

2009

– Festival de Cannes (FRANÇA)

– Festival de Cinema de Dubai (EAU)

– Ayam Beirut Al Cinema’iy, Beirute (LÍBANO)

Obras de Filme e Vídeo

2017 – O ruído branco, 20 min

2015 – A quarta fase

              Vídeo, 37 min.

2013 – Realocando o passado, Ruínas para o Futuro, Parte Dois,

              Três canais, instalação de vídeo, 20 min.

2012 – Você tem que nadar, você não tem escolha,

             Instalação de vídeo, 10 min, nomeada para o Sparebankstiftselsn DnB NORUEGA

            – Painel VG, videoinstalação, 10 min, Oslo Kunstforening.

2011 – Meu pai ainda é comunista, Memórias íntimas a serem publicadas.

              Curta-metragem, 32 min, encomendado pela Sharjah Biennale.

2009 – O que não me assemelha parece-se exatamente comigo 

Colaboração com Rima Kaddissi, vídeo 30 min

2008 – Rostos Aplaudindo Sozinho, Vídeo, 8 min

            – Um árabe chega à cidade (An Arab Comes to Town)

  Documentário na Dinamarca, 54 min, produzido pelo filme Concern, DR2 –           Dinamarca.

2007 – 210 m, vídeo, 11 min,

             Produzido por Ashkal Alwan e pela European Cultural Foundation (ECF)

2006 – Faux-raccord, Vídeo, 4min,

             Parte da série de exibições, Under Siege, mostrada em diferentes festivais.

2004 – Operação Nb, Curta metragem, 30 min,

Prêmio de Melhor Diretor de curta-metragem, Festival Internacional de Cinema de Beirute.